terça-feira, 4 de outubro de 2011

A troca



Na boca
O vazio de palavras
Não ditas,
Resguardadas
Para a minha proteção.
Em troca
Ofereço a vida
Que ora me pertence,
Ora me escapa
Por essa noite
Muito escura
Muito longa
Muito curta...

                                                         Aline Monteiro

“Não dês valor maior ao meu silêncio;
E se leres recados numa folha branca,
Não creias também: é preciso encostar
Teus lábios em meus lábios para ouvir.
Nem acreditas se pensas que te falo:
Palavras são meu jeito mais secreto de calar”
(Lya Luft)

4 comentários:

Marvin Cross disse...

Aline, tuas poesias são profundamente tocantes... Não parei para pensar em alguma favorita, das poucas que conheço, pois apenas as contemplo e degusto... Acho que de certa forma isso é bom, não?
Grande beijo! E prossiga...

Ivan disse...

Lembrei de Herbet Vianna
"Uma noite longa, pra uma vida curta..."
Abraço

TiagoQuingosta disse...

Às vezes trocamos o certo pelo incerto, faz parte... Mas às vezes é melhor não correr riscos.

Janete Lacerda disse...

O silêncio é bem melhor que as palavras, na maioria dos casos.
O silêncio é omisso no máximo, a palavra que escapa pode ferir para sempre.