sábado, 29 de outubro de 2011

Sorria



A minha felicidade
Mora no teu sorriso...
Então, te peço
Apenas que sorria
E perdoe
O mau gosto
Que tenho para tudo...
Porque mau gosto
É isto
Gostar do que
Quase ninguém
repara...
Da árvore nua
Na esquina
Da esquina tomada
De folhas secas
Das folhas secas
Que caíram
Da árvore nua...
E se ainda te pareço,
Assim sem sentido
Então, repara
Nas folhas,
E por quem elas caem...

                                                                          Aline Monteiro


“Clareia minha vida, amor, no olhar”
(Pois é – Los Hermanos)

4 comentários:

Cris disse...

euuu riooooooooooo!
Pq o instante pede, que sou feliz e pq o riso transforma... e eu sorrirei... sorrirei sempre que preciso for.
"Ela vem e ninguém mais bela vem!"
bjo

Amor cafona disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amor cafona disse...

Ai Aline Soeiro, você é perfeita e este texto foi perfeito. Não sei se estou mais sensível hoje, mas teu poema e todas as palavras dele me fizeram alguém mais feliz. Eu até sorrir, abri aos poucos minha boca naquele sorriso que quase fecha os olhos e toma conta da boca inteira. Esse texto é lindo e já é meu. Vou rouba-lo para recitar por ai. Amo-te

TiagoQuingosta disse...

Lindo! Não sou muito amante de sorrisos sabe, mas admiro a capacidade de ver beleza onde ninguém vê. Isso significa ter um coração simples. Que tudo agrada. Ver beleza em tudo talvez signifique ver sentido em todas as coisas da vida.