quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Réaliste Infatigable



Realista incansável é
Essa preocupação
De querer que
As coisas façam
Sentido.
A lágrima quer
Escorrer.
O bom senso diz: Não!
O corpo quer convencer
Que é preciso
Para que os olhos
Sejam lubrificados,
Repetindo incessantemente:
Não é fraqueza,
É necessidade...

                                                        Aline Monteiro

“Eu sou um homem fechado.
O mundo me tornou egoísta e mau.
E minha poesia é um vício triste,
Desesperado e solitário
Que eu faço tudo por abafar.
Mas tu apareceste com
Tua boca fresca de madrugada,
Com teu passo leve,
Com esses teus cabelos...
E o homem taciturno ficou imóvel,
Sem compreender
Nada, numa alegria atônita...
A súbita alegria de um espantalho inútil
Aonde viesse pousar os passarinhos!
(Canção do Amor Imprevisto – Mário Quintana)


4 comentários:

Alex Rodrigues disse...

E a necessidade seguinte é recompor-se para estar novamente apto a chorar, e recompor, e chorar, e recompor... #SouDramático, sei! Texto sensacional.

Thiago Soeiro disse...

"Realista incansável", mas desgraçadamente sentimental sempre.

Juliana Braga Nunes disse...

Perfeito. Diz também como tentamos ser realistas e enganamos a nós mesmos as vezes.

Janete Lacerda disse...

Ser realista dói...
Ser realista, por outro lado, não inclui necessariamente ser insensível.