terça-feira, 21 de junho de 2011

Linguagem



Quero a tua linguagem mais simples
Recitando versos baixinho
Ao pé do ouvido.
Essa linguagem clara e limpa
Que não precisa de tradução
Muito menos dicionário.
Quero tua fala improvisada
Sem rima, sem rodeio
Quero as tuas gírias, teus jargões,
teus clichês...
Quero o teu lugar comum
Pra eu me jogar,
Pra eu me deitar,
Pra eu me encontrar...
Quero tua linguagem,
Quero tua língua,
Quero tua boca
Recitando estes versos
Bem junto,
Bem baixinho...
Ao pé do meu ouvido...

                                                  Aline Monteiro


"Gosto de sentir a minha língua roçar a língua de Luís de Camões
Gosto de ser e de estar
E quero me dedicar a criar confusões de prosódia
E uma profusão de paródias
Que encurtem dores
E furtem cores como camaleões
Gosto do Pessoa na pessoa
Da rosa no Rosa
E sei que a poesia está para a prosa
Assim como o amor está para a amizade
E quem há de negar que esta lhe é superior?
E deixe os Portugais morrerem à míngua
Minha pátria é minha língua"

(Língua - Caetano Veloso)

5 comentários:

Renata Cruz disse...

Que lindo !
ameeeeeeei !
você escreve tãaaao bem *-*

beijos, linda.

Cris disse...

Mas ainda que falássemos a língua dos anjos... sem amor nada seriamos!

E nada mais digo.

Janete Lacerda disse...

É uma saliencia que eu vou te contar...rsrrs

Thiago Soeiro disse...

Eu amei e imaginei. Lindo o texto.

Ivan disse...

O elementar é o essencial.