terça-feira, 10 de julho de 2012

Palavra nua




Gosto da palavra nua
Que sabe sentir o frio
De uma noite chuvosa...

Gosto da palavra poliglota
Que entende
A linguagem das ruas...

Gosto da palavra viandante
Que não se conforma
Em morrer dentro dos livros...

Gosto da palavra que fala
Às artérias do meu coração
Gosto da palavra
Que conduz sutilmente
Lágrimas minhas...

Gosto da palavra que pede licença
Que diz bom dia
Que suaviza circunstâncias
Que resolve conflitos...

Gosto da palavra redundante
Da palavra que erra a caligrafia
Que mata a gramática
Para fazer viver neologismos
Gosto de palavras inventadas...


Gosto da palavra que sorri
Que dialoga
Que divaga
Que enlouquece...

Para meu fim de tarde
Para o cair da noite
Quero a nudez das palavras...

                                                                   Aline Monteiro


“Sou mais a palavra ao ponto de entulho.
Amo arrastar algumas no caco de vidro,
Envergá-las pro chão, corrompê-las, -
Até que padeçam de mim e me sujem de branco”.
(Manoel de Barros)

4 comentários:

Cris disse...

Deve ser por que a palavra nua é "deverasmente" mais bonita e verdadeira do que a enfeitada de falsos valores.
É isso maestro?

Aline Monteiro disse...

A palavra nua pra mim é aquela que eu consigo ler ou que pelo menos eu consiga fantasiar um significado, é a palavra despida de preconceitos que não tem medo do escuro que conhece os lados mais obscuros de uma sociedade e consequentemente acaba por revelá-los...

Cris disse...

Pontos pra bonita! uhummm

Lívia Almeida disse...

Palavras sempre nos convêm. Palavras sempre nos confortam. Palavras sempre nos alegram...