segunda-feira, 3 de junho de 2013

Além do que se vê

                                                                   Foto: Aline Monteiro


Amar-te é atirar-me
Num abismo de flores
Queda-livre de toda certeza...
Mas se sei o passo não anda
Saber é seguir moda, procissão...
Amo-te na escuridão
Além e aquém do que se vê...


                                                    Aline Monteiro


"Mas você me chama pro mundo
E me faz sair do fundo de onde eu tô de novo"
(Vermelho - Marcelo Camelo)

5 comentários:

Michele Pupo disse...

"Abismo de flores" é uma grande metáfora. Fiquei pensando no velho conceito paradoxal de Camões: "amor é fogo que arde sem se ver...". Pelo que sabemos, as contradições do amor são milenares, né Aline?

Belo texto.

Um abraço

Dom Malquisto, o Magnânimo. disse...

O amor realmente é algo que nos atinge de maneira escusa. Tentamos brincar com os sentimentos, mas quando vemos, já estamos completamente tomados por eles. É a vontade do próprio inconsciente humano de existir. Por isso é preciso conhecer-se mais para dominar-se a si mesmo as paixões. Noli foras ire, in te ipsum redi!

TiagoQuingosta disse...

Se não perder o controle remoto não é amar...

Wellington disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wellington disse...

Adorei seu blog..
Muito interessante mesmo, estou a te seguir e te convido a conhecer o meu:http://belezaeatragedia.blogspot.com/
Caso goste, siga de volta??
...voltarei aqui mais vezes..bjos!!!