domingo, 29 de maio de 2011

Flores na janela



Ficou observando a fina chuva
Através do vidro embaçado
...e inevitavelmente
Lembrou da dor de uma ausência
Porque acreditava que
Sempre que alguém morria
Uma fina chuva caía
Como se o dia também
Chorasse aquela perda.
Nos dias de chuva,
Era um estranho vazio
O que sentia.
Serenamente pensou
Um pouco sobre tudo.
A divagação terminou
Em milagres. E concluiu:
Nem sempre são a favor da vida.

                                                                        Aline Monteiro

"Quero saber o que mais, ao perder, eu ganhei. Por enquanto não sei; só ao me reviver é que vou ver".
(Clarice Lispector - A paixão segundo G. H.)

5 comentários:

Aline Monteiro disse...

O primo Breno me pediu para repaginar o blog, colocar umas fotos minhas e mudar outras coisas. Ando totalmente sem criatividade, mas to tentando viu primo?!

por Hope* disse...

Gosto de dias chuvosos e concordo com a melancolia...
Bommm =)

Estou repassando para os seguidores do Blog, o novo endereço, mudamos de casa!
http://entrelaeoff.blogspot.com

Bj!

Cris disse...

agora que vi, agora que vi! Finalmente meu crédito neste "brog"!
Agora sim ele tá munito munito!

Mas e pq essa foto tão pixixita? Inda mais do com a Taty... eka!

rsrsr

Aline Monteiro disse...

ô ciúme! srrss
como é difícil te agradar...

breno disse...

vi sim prima! e gostei bastante, me identifico muito com seus poemas principalmentecom este assim como flores na janela sou copaz de ver a alegria e muitas vezes sou impedido por um barreira imaginaria.