terça-feira, 8 de março de 2011

Amor Platônico




Eu poderia te escrever mil poemas
Até que chegasse o dia
Em que te conheceria
Sem paredes
Sem vidros
Sem janelas
Até que minhas palavras
Todas se esgotassem.
Eu compreenderia a tua surpresa, o teu espanto.
Eu te entenderia se não acreditasses em nenhuma delas.
Eu te pediria perdão
Por não ter nada a dizer
Por acreditar que esse momento fora apenas um sonho.
Um sonho fora do meu domínio
Como minhas ações e gestos,
Minha respiração e
A palidez do meu rosto.
Estranhamente, te pediria que fosses embora
Para sempre!
E assim eu pudesse voltar a sonhar
O mesmo sonho, repetido em todas as noites
Em que cubro o teu corpo
Com todos os poemas que já te escrevi.


Aline Monteiro



Como esta noite findará
E o sol então rebrilhará
Estou pensando em você...
Onde estará o meu amor ?
Será que vela como eu ?
Será que chama como eu ?
Será que pergunta por mim ?
Onde estará o meu amor ?
Se a voz da noite responder
Onde estou eu, onde está você
Estamos cá dentro de nós
Sós...
Se a voz da noite silenciar
Raio de sol vai me levar
Raio de sol vai lhe trazer
Onde estará o meu amor ?
(Onde estará o meu amor – Chico César)

6 comentários:

Cris disse...

E esse tbm...

Aline Monteiro disse...

srsrr
tá bom....

Caroline Mesquita disse...

Amor, você descreveu um sentimento que guardo por uma pessoa aí, rs.
E até a música eu já a conhecia, e gosto tanto. Diga-me Aline, anda lendo meus pensamentos?

Aline Monteiro disse...

srsr pois é Carol...Antes de responder outra pergunta: quem nunca teve um amor platônico? Resposta:
a)Sim. Todos tem.
b)Não. mas um dia terá.
c)Ainda tem dúvida se se trata de amor platônico( mas com certeza é!)

Acredito que todos nós já cultivamos um sentimento (secreto ou não) por alguém que idealizamos, endeusamos, fantasiamos, alguém distante ou alguém que está do nosso lado...Ele nos salvaria do tédio, da rotina, nos tornaria pessoas melhores, alguém a quem diríamos: com essa pessoa eu seria plenamente feliz, eu me entregaria sem medos e sem receios, com ela eu até arriscaria um "para sempre"! E talvez seja nesse “para sempre” que estejam os nossos anseios, e não na distância da pessoa amada...

pietra disse...

Gosto mt dessa música, mas na voz da Maria Bethania..

Adorei esse tb..

Sou tua fã Aline. Guardo aquele manuscrito daquele poema que tu escreveu lá na unifap. Lembra?

Aline Monteiro disse...

Obrigada, Paulinhaaaa!!
Olha só, eu tb prefiro na voz da Maria Bethania!
caramba! qual manuscrito?! srsr
eu tenho amnésia, minha memoria é muito curtaa! srsrrs
bjs