domingo, 25 de julho de 2010

Prisão


Acordei e não tive vontade de cantar...
Se soltares minhas mãos
Continuarei presa
À sensação de não poder fazer nada.
Não tenho muitas opções.
Onde está o botão reiniciar,
Jogar de novo?
As regras diziam
Que quem fica preso
É quem não sabe jogar,
É quem trapaceia.
Mas não é o que vejo
E não posso dizer nada...
Quem sempre vence
Não deveria vencer.
As regras do jogo mudam
E nada muda...


Aline Monteiro

Um comentário:

Orion* disse...

Que tais regras nos prendem, fazendo-nos deixar a vida, isso é dor... Como posso ser menos... fraco a prisão? Ultimidades da vida, espero que um dia elas tenham respostas...Adorei seu texto novo.