sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Velha Infância

O que escrever
Quando tudo parece igual
Rotineiro, sem mudança.
Como um comercial de TV,
Um filme antigo
Que já se sabe o final.
O mesmo roteiro
A mesma trilha
Os mesmos atores
As mesmas falas
A mesma tragédia
A mesma piada
A mesma miséria
A eterna hipocrisia
O descaso infinito
O que fazer
Quando a infância
Virou esse filme
Que já cansei de assistir
Com o mesmo roteiro
Com os mesmos atores...

Aline Monteiro

3 comentários:

Alci disse...

..c'est très facille pour moi parler sur mon amie Aline,pourquoi elle est très simple,inteligente,timide et une amie très extraordinaire, elle habite dans mon coeur...ses poésies sont parfaite,j'aime beaucoup toutes que elle ecrire et que j'ai lu jusqu'à aujourd'hui...comme elle même parle, son touts inoubliable...je t'aime,noublie pas ça...bisous

klasat disse...

gosto de como falas da rotina, das coisas diárias e como isso se torna cansativo...
Mas tenho outro texto teu com o mesmo título... Que também é muito bom... mas gostei
abraços moça!

Roma disse...

oiiiiiiiiiiiii!!!
Ó eu aki d novo rsrsrs
Para fazer um pedido:aquela poesia q eu e o Jr. amamos,vc pode colocá-la aqui?rsrs
Mas,essa também é muito boa!
Como todas as suas p/ mim!
Álias,pessoal,que fiquem todos sabendo:Aline é uma das minhas poetisas preferidas!ó meninazinha boa essa!rsrs
Outro dia escrevo algo em francês para dar exemplo como nossa amiga Alcione srrs,mas,é que já esqueci de como se escreve em francês srsr
Mais, je suis d'accord avec tout que m'amie Alcione a dit sur ma timide poètise Aline!srrs