quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Meu


Hoje... Desejei a vida a dois.
Apenas eu e poucos pensamentos.
Nada de ordens, pedidos, conselhos,
Obrigações...
Hoje me revirei do avesso
E nada existia ali.
As vontades cessaram
Os sonhos estancaram
O desejo adormeceu... Profundamente.
Caminhar por muito tempo
De olhos fechados é perigoso
É correr o risco de não reconhecer os outros.
É correr o risco de não te reconhecerem.
Não há mais tempo para o medo
Não há mais tempo para dúvidas
Não há mais tempo para a respiração...
Aceitar-se não significa ser aceito
Ser aceito não significa aceitar-se.
Não há risco sem dano
Não há dano sem erros.


Aline Monteiro

3 comentários:

Aline Monteiro disse...

Pelo visto esse vai ser o útlimo poema do ano! Gostaria de agradecer a todos que passaram um tempinho seu para ler um verso dos meus poemas.Demorei um pouco pra postar esse, o título diz muita coisa, retrata um momento difícil, de reflexão, de escolhas, de balanço... Um momento que só vai encontrar suas respostas no que tá chegando...Obrigada e desejo a todos muita saúde que o resto a gente inventa, rouba, encena, reproduz...

Cris disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris disse...

Não poderia eu... (mais bonita, musa inspiradora... e etc) de agradecer a vc que tem nos presenteado o ano todo com palavras, dizeres, sentimentos, desabafos e choros tão lindos nossos dias entediantes.... fazendo com que assim não esqueçamos em momento algum que isso aki é pura folia... de máscaras que todos usamos para reiventar o próprio existir.
Amo-te tanto.
bjos