sábado, 29 de maio de 2010

7Vidas



Quero sentir minha solidão em paz,
Quero silêncio!
Ao ponto de ouvir minha respiração
E me encontrar em qualquer lugar que seja,
Em qualquer fantasia que insisti usar,
Que ousei vestir...
Às vezes, qualquer sopro de vento
muda a minha direção
E me deixa tão distante
de onde acreditei estar perto.
Quero silêncio...
Para descobrir qual a dor mais urgente
E talvez achar a cura.
As coisas que gosto ainda me tocam.
Me comovo com o vidro embaçado da chuva
Quase que consigo evitar a vontade
de desenhar no vidro.
Levanto a mão para apoiá-la contra o vidro,
Olho fixamente e apenas abro
Um pequeno espaço para ver a rua e os carros passando.
A minha decepção em pegar a chuva repentina
Não foi por me atrasar
Mas por não poder continuar me molhando...
Ainda penso em ir embora
Mas espero que alguém me peça pra ficar...
É tão pouco o que quero
Que dispensaria as flores.
Se entregar, às vezes, parece tão mais simples.
Quantas vidas ainda me restam?

Aline Monteiro

3 comentários:

Cris disse...

acho que ainda me restam dois dedos de uma vida!
vou economizar pra ver quanto tempo ainda consigo viver.

Cris disse...

aline... contagem errada hj descobri que ainda tenho mais sete vida, que vou logo avisar, gasterei pelo menos 5 na ida pro Oiapoque, e vou gaurdar pro caso de de repente me apaixonar por um militar e casar logo com ele pra lá!

Aline Monteiro disse...

ahhh te decide!!
srsrsrss