domingo, 16 de novembro de 2008

Dimanche – le dernier poème


Hoje não quero sair
Não quero ir até a janela
Não vou escrever
Não vou falar com ninguém sobre isso.
Hoje eu me sinto cansada
Sem vontade de fazer nada...
Hoje vou lembrar do dia em que te conheci
Não queria lembrar... Mas é inevitável
Como as coisas que fazemos involuntariamente...
São tantas as coisas que eu não queria ter feito
Não só hoje
Mas a vida inteira...
Do dia em que te conheci
Isso eu ainda não consegui esquecer...
Mas esqueci de te dizer que
Foi por você que quase mudei quem
Eu costumava ser...
Será que valeria a pena você saber disso agora?
E antes?
Será que seria diferente?
As coisas nem sempre saem como o planejado
Eu não planejei gostar de você...
Não há uma canção que não me lembre do teu jeito
E isso às vezes me irrita
Quanto tempo mais eu vou esperar
Pra poder me sentir melhor...
Tenho a sensação de que não importaria
A decisão que eu tomasse
Qualquer que fosse a minha escolha
Eu sairia perdendo...
Eu simplesmente joguei
Sabendo que iria perder
Hoje eu vou ouvir a mesma música
Um milhão de vezes
Vou arrumar as minhas coisas
Vou terminar de ler aquele livro
Assistir uns filmes até mais tarde...
Mas não vou sair de casa.
Talvez eu me distraia um pouco
Talvez esteja só me enganando
Queria te contar algumas coisas
Nada de mais, são só bobagens...
Mas eu gostaria que você as ouvisse.
Pra ter a tua atenção por alguns minutos.
E sentir que você é meu.
O tempo está tirando você de mim
Todos os dias ele vem
Pra apagar alguma lembrança sua.
E eu não posso fazer nada.
Já faz um tempo
Que eu não decido nada.
Mas que diferença isso faz
Você não vai mais estar aqui.
Às vezes penso que nunca esteve...
Aline Monteiro

4 comentários:

Jr./Dalton/Dalton Jr. disse...

Adorei esse, Aline! Marcas, retratos de lembranças, de memórias; tudo emoldurado nas pilhas retalhadas de sentimentos...

Jr./Dalton/Dalton Jr. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jr./Dalton/Dalton Jr. disse...

Aline, eu amo essa sua poesia! Eu a adaptei um pouquinho, para espressar meu atual estado d espírito. Vc se importa? Veja o q achou...


Hoje não quero sair
Não quero ir até a janela
Não vou escrever
Não vou falar com ninguém sobre isso.
Hoje eu me sinto cansado
Sem vontade de fazer nada...


Hoje vou lembrar do dia em que te conheci
... é inevitável
Como as coisas que fazemos involuntariamente...
São tantas as coisas que eu não queria ter feito
Não só hoje
Mas a vida inteira...


Do dia em que te conheci
Isso eu ainda não consegui esquecer!
Mas esqueci de te dizer que
Foi por você que mudei quem
Eu costumava ser...


As coisas nem sempre saem como o planejado
Não há uma canção que não me lembre do seu jeito
Quanto tempo mais eu vou esperar
Pra poder me sentir melhor?...


Tenho a sensação de que não importaria

A decisão que eu tomasse
Qualquer que fosse a minha escolha
Eu sairia perdendo...
Eu simplesmente joguei
Sabendo que iria perder


Hoje eu vou ouvir a mesma música
Um milhão de vezes
Vou arrumar as minhas coisas
Vou terminar de ler aquele livro
Assistir uns filmes até mais tarde...
Mas não vou sair de casa.


Talvez eu me distraia um pouco
Talvez esteja só me enganando
Queria te contar algumas coisas
Nada demais, são só bobagens
Mas eu gostaria que você as ouvisse.
Pra ter a tua atenção por alguns minutos.
E sentir que você é minha.


O tempo está tirando você de mim
Todos os dias ele vai
Pra apagar alguma lembrança minha.
E eu não posso fazer nada.
Já faz um tempo
Que eu não decido nada.


Você não vai mais estar aqui.
Eu só queria que você estivesse aqui...

Aline Monteiro disse...

Legal, gostei, pequenas mudanças q alteraram o fim da história...valeu Jr por comentar e pela versão do poema! Abraços!